sábado, 21 de janeiro de 2017

ERICH FROMM


Erich Fromm escreveu: 

“a destruição é a criatividade dos desesperançados; é a vingança praticada contra si mesmo pela vida não vivida”. 

Somos criadores por natureza e necessidade de evolução. Mistérios estão a nossa frente e devemos confiar nos nossos sentimentos e deixar que eles nos guiem, para podermos  viver coisas maravilhosas. 

Deixemo-nos enfeitiçar pela profundidade e proximidade de um encontro; prestemos atenção nas pessoas intuitivas e compreensivas que estão ao nosso lado. 

Seguir o caminho do coração com confiança instintiva vai ajudar a clarear o nosso mundo interior que ficou acinzentado, pq nós não ouvimos a nossa voz interior. 

Acreditemos no Deus em nós, sigamos nossa intuição e confiemos nos nossos sentimentos. 

Bjos no Coração
Namastê!
Saviitri Ananda

KIN 139 - TORMENTA SOLAR AZUL




KIN 138 - ESPELHO GALÁCTICO BRANCO




quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

APOMETRIA


Sendo Filhos do Universo, a nossa natureza é a mesma, portanto somos todos seres multidimensionais e cada um de nós se manifesta em diferentes níveis de expressão. A Apometria é uma técnica que facilita o acesso as nossas diferentes frequências dimensionais. O termo origina-se das palavras gregas: apô (além de, fora de) e metron (relativo ao ato de medir). Quando falamos em Apometria, estamos nos referindo ao desdobramento entre o corpo físico e os corpos espirituais do ser humano. O êxito da Apometria reside na utilização da faculdade mediúnica para entrarmos em contato com o mundo espiritual da maneira mais fácil e objetiva, sempre que quisermos. Embora não sendo propriamente uma técnica mediúnica, pode ser aplicada como tal, toda vez que desejarmos entrar em contato com o mundo espiritual.

Apesar de estar sendo recentemente muito estudada e utilizada, já em 1965, Luiz Rodrigues, psiquista porto-riquenho, realizou uma palestra no Hospital Espírita de Porto Alegre, demonstrando pela primeira vez no Brasil, a técnica que vinha empregando nos enfermos em geral, obtendo resultados satisfatórios. Denominou-a de Hipnometria; essa técnica consistia na aplicação de pulsos magnéticos concentrados e progressivos no corpo astral do paciente, ao mesmo tempo que, por sugestão, comandava o seu afastamento. Luiz Rodrigues era apenas um investigador, não era espírita e tampouco médico mas trouxe possibilidades novas e um imenso campo para experimentação se conduzidas com métodos objetivos e sistemáticos. O Dr. José Lacerda, então diretor do Hospital Espírita de Porto Alegre, testou a metodologia com sua esposa e médium de grande sensibilidade, utilizando criteriosa metodologia, sólida formação doutrinária, observação constante dos fenômenos, ele aprimorou solidamente a técnica inicial, identificando-se na época, um grande complexo hospitalar na dimensão espiritual.

Muitas vezes a Apometria é confundida com mediunidade, todavia é apenas uma técnica usada para separar os diferentes componentes que fazem parte de um ser; compreende um conjunto de princípios e técnicas de tratamento espiritual baseado no desdobramento e na dissociação dos múltiplos corpos e níveis do ser humano Trata as personalidades de vidas passadas e desdobramentos da vida atual, trata e encaminha espíritos obsessores, auto-obsessões e trabalha com energias diversas.

As técnicas apométricas mais conhecidas são: desdobramento espiritual, dialemetria, dissossiação de espaço e tempo, sintonia psíquica, cromoterapia mental, incorporação mediúnica ou anímica.

• Desdobramento - Essa técnica é realizada através de pulsos magnéticos, que teriam o poder de criar nos planos sutis determinadas emanações mento-magnéticas capazes de, pela vontade do operador, dissociar os níveis de consciência de uma pessoa, para que seja possível seu tratamento.Refere-se à capacidade do espírito de se dissociar em muitas partes, quantas for necessário, até que seja possível descobrir onde está a anomalia ou o desequilibro nos níveis de consciência. O espírito é Uno e indivisível, não pode ser dividido em hipótese alguma, porém seus veículos de expressão, ou seja, as formas que ele encontra para a sua manifestação podem ser divididas infinitamente. O desdobramento não se refere apenas a projeção do corpo astral ou do corpo mental, na Apometria, toma um sentido mais amplo. É encarado como a capacidade do ser de expandir-se infinitamente, sem ao mesmo tempo perder a sua Unidade.

• Dialemetria - Consiste em emitir pulsos magnéticos no corpo etérico e astral até que estes se tornem maleáveis e flexíveis a ponto de se tornarem bastante permeáveis às energias irradiadas pelo operador. Com o afrouxamento intermolecular das partículas de matéria etérica e astral, os corpos espirituais se tornam menos densos e podemos fazer fluir a energia com muito mais facilidade, sem acumulações e bloqueios energéticos. Os pulsos são emanações energéticas que expressam a força de vontade dos doutrinadores em dissociar os níveis. Os pulsos são ritmados e realizam-se através de estalos de dedo com contagem de 1 a 7. O estalo cria uma irradiação sonora que veicula a força do pensamento dos trabalhadores espirituais.

• Dissossiação de Espaço e Tempo - Essa técnica consiste na utilização da condição atemporal e inespacial do Universo. Como o Tempo e Espaço são referenciais objetivos de nossa mente concreta, eles podem ser dissociados no plano espiritual e relativizados. Passado e futuro encontram-se em estado potencial no presente, o único momento eterno que existe, nos possibilitando assim romper a barreira do tempo através do comando mental e conduzir um espírito ou uma energia ao passado ou ao futuro. Esta técnica só deve ser utilizada com uma boa motivação, pautada na Luz e na compaixão. É possível levar um espírito a ver seu próprio futuro e assim descobrir o que lhe acontecerá caso insista em agir de determinada forma; alguns espíritos podem ser acometidos por visões e sentimentos catastróficos de seu futuro e podem se deparar com situações das quais jamais imaginaram que ocorresse. É o Principio de Causa e Efeito sendo sentido diretamente para que ele possa reavaliar seu atual comportamento e mostrar que más conseqüências podem ser evitadas.

• Sintonia Psíquica – Essa técnica é usada quando há diferença entre a freqüência energética entre o médium e o espírito e é possível, através de pulsos magnéticos, sintonizar ambos e permitir o contato por meio de diálogo e de tratamento.

• Cromoterapia Mental – É a técnica onde médiuns e doutrinadores se utilizam da irradiação de luzes coloridas, mentalizando a cor e projetando-a sobre a personalidade, espírito ou energia que está sendo tratada. Sabemos que cada cor têm uma propriedade específica e a cromoterapia mental apresenta resultados mais eficientes que a com luzes visíveis, pois o tratamento mental ocorre no plano sutil e canaliza as energias que estariam mais próximas da Fonte e da essência vibratória de cada cor ( Amarelo – Conscientização; Azul – Calma/Tranqüilidade; Verde – Cura; Violeta – Transmutação; Rosa – Estimulação do afeto e ao amor incondicional; Prata – Desintegração de energias negativas; Branco – Diagnósticos e Proteção).

• Incorporação Mediúnica ou Anímica – É uma técnica também conhecida como "projeção mental" e a incorporação apométrica pode ser de dois tipos: mediúnica e anímica. Na primeira, o médium manifesta os atributos da entidade espiritual como se tivesse incorporado o espírito e passa a agir como ele, reproduzindo fielmente seus comportamentos e modo de ser. A incorporação anímica é a mais recomendada na apometria, porque dá mais independência para o trabalho: o médium apenas visualiza o espírito no plano astral e pode conversar com ele sem que este use o seu corpo para se expressar; o médium estaria observando os planos sutis e tendo contato com as energias que nele contém.

Nada há de misterioso nas técnicas desenvolvidas pelo Dr. Lacerda, de Porto Alegre, e tão bem divulgadas pelo Dr. Vítor Ronaldo Costa, de Brasília, em proveitosos seminários e cursos que didaticamente efetua. Sabemos que o espírito é "uno" em essência, mas múltiplo em manifestação; portanto pode manifestar-se em todas as dimensões, formas e épocas. Alguns psiquistas chamam cada uma destas manifestações de nível e considera-se que todo espírito teria uma manifestação principal e natural em sete planos de consciência que seriam chamados os sete corpos. Por isso grupos e entidades espíritas, principalmente, começaram a se interessar pela Apometria, técnica de trabalho anímico-mediúnica, na qual, os médiuns, se desdobram conscientemente, participando de maneira ativa no encaminhamento das entidades espirituais enfermas.

A Apometria se apresenta como técnica moderna que une avançados métodos de intercâmbio com o plano extrafísico e sua utilização é um instrumento muito poderoso em nossos dias. Muitas pessoas são inteiramente favoráveis à correta utilização do método apométrico, desde que seja alicerçado em bases sólidas de estudos, sem prejuízo do conteúdo ético-moral e, sobretudo, do trato afetivo com as entidades desencarnadas. O êxito da Apometria reside na utilização da faculdade mediúnica para entrarmos em contato com o mundo espiritual da maneira mais fácil e objetiva, sempre que quisermos. Embora não sendo propriamente uma técnica mediúnica, pode ser aplicada como tal, toda vez que desejarmos entrar em contato com o mundo espiritual.


Bjo no Coração
Namastê!
Saviitri Ananda - CRTH/BR0230

KIN 137 - TERRA RESSONANTE VERMELHA




CONSELHOS DE DOCE LUA - XLVII

                          Imagem relacionada

A energia deste dia, está sendo direcionada para a auto-transformação.

Quando algo grita dentro de nós, devemos deixar sair de nós. 

Catalise tudo que está sendo gerado dentro de você, porque a verdadeira transformação, que precede a sua realização completa, começa de dentro para fora. Opere a partir do mundo espiritual e do coração universal, sendo amigável e prestativo.

O dia pode despertar em você o ser-trovão interior e lhe atrair para o estudo da filosofia. Catalise a transformação, liberando essa energia. Seja receptivo à iniciação e purificação.

A cooperação emerge quando você expande a percepção. Abra o seu coração e se disponha a criar um resultado Maior que beneficia a todos. A cooperação é impossível quando você é rígido ou deseja controlar o resultado.

Coopere com todas as situações da vida, sendo aberto e fluido. Torne-se um Eu mais expandido e integre com fluidez as suas experiências de vida com novos horizontes.

Bjos no Coração
Namastê!
Saviitri Ananda


AMAUTAS E SENDA ANDINA




O que significa “Senda Andina”? 
Acredito que muitas pessoas já ouviram a expressão, muitas delas até já sabem de seu significado, mas a maioria não conhece. Vamos para uma lição bem didática: o que é Senda? Senda é um termo técnico que a maioria das escolas filosóficas e algumas religiões se utilizam para designar o “Caminho”, o “Sendeiro”, o “percurso Espiritual” para àqueles que aspiram a união com o Divino.

É um conceito conhecido desde a Antiguidade e se refere ao Caminho da Perfeição. É um caminho de perfeição, descrito por vários místicos e discernido através da história por alegorias de muitos heróis gregos ou a morte e ressurreição de muitos mitos solares, indicando sempre um trabalho progressivo e de auto aprimoramento. Uma caminhada sem interesses mundanos que permite um renascimento a níveis superiores de consciência.

No Hinduísmo, esse Caminho divide-se em 3 ramos principais: Kama-yoga (Caminho da Ação, voltado ao trabalho altruísta); Jñana-yoga (Busca do Conhecimento da Sabedoria) e Bhakti-yoga (Caminho da devoção, centralizada no amor). No Budismo, a Senda é descrita através da compreensão das 4 verdades, que depois de compreendidas, na senda de um Caminho, geram oito trilhas até atingir a iluminação: Entendimento Correto; Pensamento Correto; Palavra Correta; Atividade ou ação correta; Modo de vida Correto; Esforço Correto; Atenção Correta; e Concentração Correta.
Resultado de imagem para senda evolutiva

O estudo mais interessante que temos sobre “As Sendas”, foi escritos por Helena Blavatsky, que nos evidenciou com riqueza e detalhes técnicos o que constitui uma Senda, quais são suas etapas e divisões. Aqui só faço um pequeno resumo, mas aos que se interessarem, podem buscar mais detalhes no livro: Glossário Teosófico (Blavatsky, Helena P. São Paulo). Resumindo, a primeira Senda seria a Probatória, onde o buscador realiza a sua purificação pessoal e desenvolve virtudes indispensáveis para sua ascensão. Blavatsky descreve as etapas principais, os quatro estágios principais; o primeiro é chamado de Viveka e trabalha o discernimento entre o real e o irreal. 

O Vairâgva que é o segundo estágio, faz com que sejamos indiferentes a todas as coisas exteriores, passageiras ou ilusórias, trabalha-se com o desapego ao mundo material. A terceira etapa está voltada para o domínio do pensamento, da palavra e da ação. Somos treinados na tolerância, na paciência, na fé, no equilíbrio e na equanimidade. E a última etapa (Mumukcha) estabelece o desejo de união com a divindade e de libertação do Ciclo dos Renascimentos. Cumprindo estes requisitos o candidato é aceito formalmente como um discipulo de um Mestre de Sabedoria e recebe a primeira iniciação.

                                                        Imagem relacionada

Conquistando sucesso sobre as provações, o Caminhante (Arhat), está salvo e já não é obrigado a reencarnar para continuar seu progresso (o qual não tem fim), mas pode fazê-lo voluntariamente para auxiliar o mundo e seus irmãos menores. Nesta condição exaltada sua consciência tem os primeiros acessos ao Nirvana mas ainda não é considerado um ser verdadeiramente perfeito, e tem de realizar outras tarefas para capacitar-se para receber uma iniciação ainda mais alta. Ele deve romper definitivamente os cinco últimos grilhões, que são o desejo pela beleza da forma e desejo por uma vida numa forma, mesmo que seja no mundo celeste; desejo de vida mesmo sem forma; orgulho por suas realizações, e a possibilidade de sentir qualquer agitação ou irritação por qualquer motivo que seja, mantendo uma serenidade inabalável em todas as situações. 

Recebendo a Quinta Iniciação, passa a se chamar Adepto, Mestre, Askha, Amauta – aquele que realizou o propósito para o qual nasceu; já não lhe resta aprender mais nada no reino humano. É como se essa pessoa fosse ungida pelo Espírito Santo e que assim, a primeira coisa que deve fazer é transmitir aos demais sobre o poder que recebeu.

A Senda Andina é um caminho que surgiu como um presente de Pachamama (Mãe Terra) e procura integrar homem e natureza da forma mais amorosa possível, fazendo com que cada Caminhante desenvolva um profundo sentimento de gratidão e reciprocidade diante de todos os seres viventes no planeta. 

                                             Resultado de imagem para pachamama

A Mãe Terra acolhe todos os seres com amorosidade e quando nos dispomos a fazer o mesmo, essa integração amorosa vai gerar uma maneira alegre e simples de viver, fazendo com que se tenha muito consciente o valor de termos a vida, uma vida simples, terna e com muita paixão. Caminhar pela Senda Andina é nos integrarmos á um movimento destinado à expansão da consciência e à educação espiritual das pessoas, com o objetivo de melhorar a relação dos seres humanos com a vida. E, nesse sentido, sempre teremos ao nosso lado um Amauta reparado e acreditamos em uma só raça, a humana, e em uma só condição, a liberdade, ensinando lições e técnicas, aprendendo em unidade grupal. O Movimento que segue a trilha Andina ajuda seus membros a conectarem-se, efetivamente, com seus corações e a escutarem o seu Eu Interno, ajudando-os a confiarem na voz do coração, que é a voz de Pachamama.

Somos uma ponte entre duas energias cósmicas, de acordo com a percepção andina do mundo, somos os mediadores entre a energia de Tayta Inti e Pachamama, somos filhos do casal Divino, e como tais, somos herdeiros de grandes poderes e mistérios. O pai do céu nos entregou um Anjo Solar para nos inspirar e a Pachamama nos entregou como presente animais guias e protetores, que são portais a nossa totalidade. Através do acesso a esses portais conhecemos nosso mundo interno, nos entregamos ao mundo externo e integramos com totalidade à vida. Temos assim o poder para agirmos com sabedoria, seguimos uma intuição sagrada e trilhamos a senda com consciência.

Nas civilizações mais desenvolvidas da Cordilheira Andina, existia um grupo de sábios chamados Amautas, que ao contrário das civilizações orientais, não eram idolatrados e sim eram tidos como trabalhadores que serviam às tribos. No idioma “quéchua”, Amauta quer dizer “homem sábio”. O Amauta era um “caminhante” imbuído de missões muito importantes que iam desde ensinar teologia, contar histórias, criar artes, organizar festas e dar ao povo muita alegria. Um Amauta era uma pessoa sinalizada pelo Divino para seguir um processo especial de aprendizagem que lhe era conferido por outro Amauta mais antigo através da tradição oral, o que acontece até nossos dias. As características principais de um Amauta são: humildade, sensibilidade e disposição para abrir seu coração. O Amauta escuta todos por igual e seus conhecimentos estão todo acessíveis a quem queira aceitá-los; sua caminhada é guiada por seus ancestrais e pelo Grande Espírito.

Resultado de imagem para amauta

O Amauta representa a união do céu e da terra, formando um vínculo com todos os seres. É um ícone latino-americano que representa com mestria e sabedoria a história sempre com humildade. Se observar o significado da palavra Amauta, veremos que ela está interligada a sentimentos de gratidão e reciprocidade perante o todo, resultando numa maneira de viver com simplicidade, ternura e paixão. O imenso valor de estar presente na vida, dando atenção a cada momento. O Amauta é um ser que tem noção dos mundos multidimensionais; sabe que é um nagual, que faz a ponte entre os vários mundos e que um de seus propósitos é a integração de todas as tradições espirituais. É um “caminhante” que compreende as energias que fazem parte do dia-a-dia.e pode nos ensinar com sabedoria, amor e devoção os rituais ancestrais andinos que nos auxiliam a entender Pachamama, sustentar nosso crescimento e valorizar o sagrado. Podemos trilhar a Senda Andina, num dos mais importantes trabalhos a serem feitos numa caminhada espiritual.

Essa caminhada pode ser inciada com auxílio de um Amauta, mas constitui um trabalho pessoal e interno profundo sobre as raízes do sofrimento, ou seja, nossas sombras ou egos, trazendo luz. Cada um de nós é responsável por si, por esta “limpeza interna” e quando enfraquecemos nosso ego, produzimos espaço interno, que nos faz florescer em amor e liberdade. Pela Senda Andina reaprendemos a importância de gestos antigos como reverenciar a família, os amigos, os costumes saudáveis de cada povo, sentindo, como nossa missão, o resgate dos valores vigorosos do carinho e da responsabilidade por viver em um planeta que está vivo e é nossa mãe, tentando cuidá-lo em todos os nossos dias, e ajudando os amigos e as pessoas que nos rodeiam a aumentar sua responsabilidade e consciência do cuidado que se há de ter com esse ser precioso que nos hospeda. Os Amautas nos ensinam com palavras simples e diretas, que a energia mais preciosa que temos é o amor, o carinho e a simplicidade; que se deve respeitar toda e qualquer tradição desde que se conserve o amor e o carinho pela Mãe Terra.

A Senda Andina nos revela como trilhar um espaço místico com cumplicidade e carinho, cultivando a solidariedade, a fraternidade e a busca em comum de uma vida com qualidade emocional, uma vida grupal, educando a consciência e irradiando carinho. Somos somente uma pequena semente no imenso jardim da vida, e devemos caminhar fraternalmente como pessoas unidas no propósito de semear consciência e carinho, crescer como comunidade (Ayllu) no amor à vida, a esta vida maravilhosa misteriosa e amorosa. Somos todos “caminhantes” e em nossas vidas laços energéticos nos unem a pessoas. Um dos objetivos da Senda Andina é eliminar qualquer ligação dependente, modificando nossos relacionamentos com as pessoas, instituições, situações, trazendo mais amor, alegria e liberdade, proporcionando uma nova maneira de viver e ser feliz.

Os trilheiros da Senda Andina sabem que é importante refazermos a conexão divina. Nosso cotidiano na sociedade moderna nos distanciou do sagrado e muitas de nossos conflitos poderiam ser aliviados se nós voltássemos a respeitar a necessidade de retiro e de religação com a.Mãe Terra Honraremos nosso Caminho Sagrado quando dermos conta do conhecimento intuitivo inerente a sua natureza receptiva; quando confiar nos ciclos da natureza e permitirmos que as sensações venham à tona dentro deles. Precisamos aprender a amar, compreender, e, desta forma, curar uns aos outros; devemos compreender que podemos penetrar no silêncio de nosso próprio coração para que nos seja revelada a beleza do recolhimento e da receptividade . Sabemos que a força das pessoas vem sendo distorcida pelas expectativas sociais de sucesso narcisista, de dominação da natureza, das crianças, do feminino e assim a força vital vai se desequilibrando... O caminhante de uma senda é um Guerreiro de Luz e aprende que deve gastar sua energia partilhando seus sentimentos em vez de lutar contra eles ou escondê-los e se caracteriza pela vontade de partilhar os sentimentos.

                                    Resultado de imagem para caminhante

A caminhada é feita objetivando recuperar a nossa força interna, o retorno às nossas raízes e nos desvencilharmos aos poucos da personalidade que herdamos social e culturalmente de nossas famílias, a única que conhecemos e alimentamos até o momento. É também “o passaporte” para a entrada no “Ayllu” onde nos voltaremos a gestos antigos de reverenciar a família, os amigos, os costumes saudáveis de cada povo, sentindo, como nossa missão, o resgate dos valores vigorosos do carinho e da responsabilidade por viver em um planeta que está vivo e é nossa mãe, tentando cuidá-lo em todos os nossos dias, e ajudando os amigos e as pessoas que nos rodeiam a aumentar sua responsabilidade e consciência do cuidado que se há de ter com esse ser precioso que nos hospeda. 

Um trabalho mágico e simples com as forças elementais da Pachamama, para produzir equilíbrio energético e recuperar nossa relação com a vida uma caminhada que inspira uma profunda união com os elementos, num sentimento de amorosidade necessária, para o nosso crescimento pessoal como buscadores. Aprendemos que todo o povo de Pachamama participa da mesma tradição; aprendemos a cavalgar sobre o vento soprando livres em direção a nossa cura e desbloqueio.

Relembramos que acariciar a água nos limpa e nos torna mais sensíveis; que o fogo nos dá luz, calor e vitalidade e que Pachamama é estável, abundante e nos atende e nutre. Passamos a nos tornar mais conscientes de nossos padrões energéticos e da nossa necessidade de reconexão para que nossos corações escutem o suave sussurro de nossa voz interna, a voz da própria Pachamama.

Bjos no Coração
Namastê!
Saviitri Ananda - CRTH/BR0230